4 de novembro de 2014

Roteiro de Nice | O Ponto de Partida em Côte d'Azur


Nice superou as minhas expectativas, tem tudo para todos os gostos. Encontrámos uma cidade vibrante, repleta de locais históricos, muita gente de todas as origens, comidas de todos os pontos cardeais, o deslumbrante Mar Mediterrânico à nossa frente - um azul turqueza de fazer suster a respiração -, os Alpes Marítimos atrás de nós, praças e avenidas largas que deixam a cidade respirar. Contrastando com essa largueza de ruas, encontrámos a parte antiga da cidade que nos fez lembrar o nosso Bairro Alto em Lisboa ou o Bairro Gótico de Barcelona. Ruas e recantos tão charmosos e encantadores. Nice tem uma boa rede de transportes públicos - fácil e intuitiva - e, como tudo fica muito perto, é fácil irmos para qualquer lado. E Nice foi o nosso ponto de partida para conhecer a afamada Côte d'Azur, também conhecida como a Riviera Francesa. Conseguimos visitar Villefranche-sur-Mer, Mónaco, Menton, Antibes, Cannes, Saint Paul de Vence, Ventimiglia (IT) e Sanremo (IT). Daquela área, perto de Nice, só nos faltou visitar Èze Village e Grasse.


Existe uma clara influência italiana em Nice e por praticamente toda a Riviera Francesa, a história assim o ditou. Há um misto de França e Itália em pequenas coisas do dia-a-dia. Para que se perceba, Nice pertencia a Itália, passou apenas para domínio francês no século XIX. Falava-se italiano, língua proibida - naquela altura - quando passou a ser uma cidade francesa. Os nomes das ruas na Antiga Nice estão escritas em francês e em niçard - o antigo dialecto da cidade, que actualmente estão a tentar reavivar de várias formas. Este dialecto acredita-se ser de origem occitana, no entanto, vários estudiosos afirmam que o niçard é de origem galo-italiana - o que até faz mais sentido. E sabem como Nice era conhecida? Nissa La Bella, expressão em niçard, que passou a ter um hino não-oficial com o mesmo nome.

E por falar em Itália, o comboio leva-nos até lá em cerca de 45 minutos. Por sua vez, os autocarros levam-nos para qualquer parte da região pelo preço único de 1,50€ por percurso. Tudo feito à medida de quem quer explorar e aventurar-se. Nesta viagem, só tivemos pena do clima não estar tão bom ao ponto de nos irmos banhar naquelas águas divinais. E mais pena tivemos de não ter mais uns 3 dias porque juro que nos esticávamos até Saint Tropez e Marselha. E quando estivemos em Itália iríamos até Génova. Mas tudo o que conhecemos já foi de bom tamanho e encheu-me de felicidade, embora o meu travel bug seja insaciável.



Como Ir | Transportes

ANTES DE VIAJAR

Primeiro, há que pesquisar bastante, através da internet, com antecedência para conseguir os melhores preços. Pesquisei os valores dos bilhetes de avião, estadia, transportes, comida, lazer, etc. Façam um orçamento real do que podem gastar, isto é, tentem não sonhar alto demais se, tal como eu, costumam ter um budget pequenino. Tentem, se puderem, ter sempre um dinheiro extra para qualquer imprevisto que possa surgir.  Usei o Skyscanner, o Google Maps, o Tripadvisor e o BookingAtenção! Em Nice, os preços a nível de estadia e alimentação é superior aos que estamos habituados. Estejam prevenidos.

Roupa e calçado: Fomos em Outubro e o clima estava um pouco instável. Ora fazia sol, ora o tempo fechava e chovia. Assim, tenham em conta a época do ano em que vão e tentem levar roupas adequadas ao clima. Neste caso, o calçado é o mais importante: levem calçado extremamente confortável porque toda a região da Côte d'Azur tem muitas subidas e algumas delas quase a pique.


VIAGEM DE AVIÃO

Nice é um dos destinos mais recentes da Easyjet com partida de Lisboa, e foi por esta companhia que fomos. Conseguimos o preço simpático de 127,20€ para duas pessoas, ou seja, 63,60€, ida e volta, por pessoa. Os horários dos voos, para nós, foram bastante bons. Partimos por volta das 13h (preferia um pouco mais cedo) e voltámos às 21h10 o que nos deu mais um dia inteiro de passeio. O aeroporto é o Nice Côte d'Azur (NCE), pelo que a chegada e partida são no Terminal 2.



TRANSPORTE AEROPORTO-CIDADE/ CIDADE-AEROPORTO

É a coisa mais fácil do mundo apanhar transporte do Terminal 2 para o centro da cidade. Quando saírem de dentro do Terminal, atravessem a estrada e, logo à vossa frente, têm plataformas numeradas para apanhar o autocarro que mais vos convier. Só existem dois que fazem o percurso aeroporto-cidade e vice-versa, isto é, o autocarro 98 e o 99 que pertencem à rede de transportes públicos de Nice, Lignes d'Azur. O autocarro 98 (plataforma 5) percorre toda a Promenade des Anglais e vai até ao centro da cidade e o autocarro 99 (plataforma 4) vai até à estação de comboios principal, a Gare de Nice Ville.

O bilhete pode ser comprado a bordo e tem o custo de 6€ por percurso, pelo que não existe a opção de comprar logo ida e volta. Deste modo, para ir e para voltar tem um custo total de 12€ por pessoa. O valor é alto tendo em conta os preços baixos que a Lignes d'Azur pratica para se deslocarem a sítios que ficam bem mais longe.



TRANSPORTES EM NICE

A Lignes d'Azur surpreendeu-me agradavelmente. Esta rede, composta de autocarros e eléctricos, possibilita que nos desloquemos para praticamente todo o lado pelo preço único de 1,50€, por percurso - saindo em que paragem for. Para terem uma ideia, fomos ao Mónaco por apenas 1,50€, fomos a Menton (quase na fronteira com Itália) pelo mesmo preço e fomos a Saint Paul de Vence que fica quase a 1h de caminho também por esse valor. E paga-se o mesmo para voltar. No total uma viagem, ida e volta, custa 3€ por pessoa. Para consultar todas as linhas e horários actualizados cliquem aqui. Atenção, dentro da cidade podem andar de autocarro e eléctrico com o mesmo bilhete, pois cada bilhete tem uma duração de 74 minutos de utilização.

Caso pretendam usar a rede Lignes d'Azur durante vários dias podem comprar os seguintes cartões: 1 Day Pass (5€), Multi 10 Viagens (10€), Pass 7 Dias (15€). Para verem o preçário completo e as várias opções de bilhetes cliquem aqui.

SNFC é a rede nacional de comboios em França. Assim, se preferirem andar de comboio fora da cidade de Nice, fica um pouco mais caro mas desloca-se mais rapidamente. Nós escolhemos o comboio para viajar até Antibes e Cannes. De Nice a Antibes, por exemplo, custou 4,10€ p/pessoa demorando apenas 15 minutos, pelo que de autocarro seria 1 hora devido às várias paragens. Nós comprámos todos os bilhetes de comboio aqui e foram enviados para casa. Atenção, em caso de perderem o comboio ou quererem voltar mais cedo ou mais tarde, podem apanhar o comboio equivalente que faz essa mesma viagem sem ter que trocar de bilhete.



L'Open Tour que já conhecemos de Paris, também tem circuito em Nice. Quem segue o blog sabe que sou mega apologista de autocarros turísticos mas neste caso dei o braço a torcer. Ir a Côte d'Azur não é só passear e estar em Nice, é percorrer o mais possível a Riviera Francesa. Ah e sem contar que se faz a cidade de Nice perfeitamente a pé. No entanto, caso pretendam adquirir bilhetes existe bilhete de 1 dia por 22€ e de 2 dias por 25€.




O Vélo Bleu é o serviço de aluguer de bicicleta da cidade. Está disponível durante 7 dias por semana, 24 horas por dia, e podemos encontrá-las facilmente na rua em pequenas estações abertas onde estão estacionadas. Para andar numa destas bicicletas podem fazer o pedido online ou na própria estação através de pedido pelo telemóvel. Custa 1€ por 1 dia ou 5€ por 7 dias. Para saberem mais pormenores de como funciona basta aceder ao site oficial ou ao do turismo de nice que está em inglês.



Onde Ficar

O alojamento em Nice não é barato mas também não é tão caro como em Paris. Bem, normalmente recomendo o local onde fiquei. Contudo, desta vez irei informar-vos onde fiquei mas não o recomendo. Considero que para aquilo que pagámos fomos muito mal servidos. Basicamente o que se pagou foi pela excelente localização que o hostel Villa Saint Exupery Beach tem. Sabem quando as coisas parecem melhor do que são na realidade através da internet? Foi precisamente isso que aconteceu.

Deste modo, como eu não ficaria outra vez no mesmo hostel, mesmo tendo esta localização extraordinária, procuraria alternativas. Na verdade, antes de me decidir por este hostel fiz reserva no Hôtel des Flandres e no Hôtel du Centre. Mas depois desisti. Também procurei apartamento para alugar no Airbnb e que acredito que teria sido uma boa opção. A vida é feita de escolhas e escolhi involuntariamente mal.



O Que Visitar

RUAS

Vão ficar simplesmente encantados de passear por Nice. Estamos sempre a encontrar algo diferente. O que mais me marcou são as cores quentes que utilizam para pintar os edifícios antigos e a forma como contrastam com a cor das janelas. Já sem falar que as janelas são todas iguais, marcam de facto aquela região. Por onde andámos na Riviera Francesa havia aquele tipo de janelas, na maioria das vezes pintadas de azul claro. Por outro lado, as paredes dos edifícios têm sempre um laranja ou laranja avermelhado e também o amarelo. Cores vibrantes numa cidade vibrante que traz mais alegria a quem passa. Aconselho a que andem e conheçam os cantos da cidade, desde a parte antiga à mais recente. Tudo vale a pena.



MARCHÉ AUX FLEURS

Situada na conhecida Cours Saleya, este mercado de rua renasce diariamente para proporcionar aos habitantes de Nice e aos seus turistas um festival de cores e cheiros. Tal como o nome indica, este é um mercado onde predominantemente encontramos flores e nada melhor do que visitá-lo de manhã. No entanto, há muito mais para ver, sentir, cheirar e comprar. Há queijos, compotas, mel, frutas e vegetais frescos e sabonetes típicos da região. Para além disso, encontramos várias bancadas com comida típica que se pode comprar e comer na hora enquanto passeamos por lá. Nós comprámos a Socca para provar, havendo também fatias de Pissaladière entre outras coisinhas tradicionais. À noite o mercado dá lugar às esplanadas dos restaurantes que o rodeiam e começa o frenesim dos jantares onde os preços não são muito convidativos.



VIEILLE VILLE

Depois de um passeio pelo Marché aux Fleurs, a ida à Vieille Ville é obrigatória. Fica logo ali ao lado, ou melhor o mercado já pertence a esta zona. Vira-se à esquerda e começa-se uma pequena aventura pelas ruelas estreitas que nos aguçam a curiosidade de saber o que se esconde a cada esquina. E é sempre uma surpresa. Esta é a parte mais antiga da cidade, uma das mais interessantes e que chama milhares de pessoas que querem ter uma pequena noção de como era Nice há uns séculos. Aqui encontramos muitos restaurantes, bares, galerias, lojas típicas e modernas. De dia é movimentado e de noite movimentado é. Os monumentos religiosos nesta área predominam, podendo conhecer a Chapelle de la Très-Sainte-Trinité et du Saint-Suaire, Église Saint-Jacques-le-Majeur, Cathédrale Sainte-Réparte (conhecida como a Catedral de Nice).



PLACE MASSÉNA

A Place Masséna é a praça principal de Nice. Ficámos hospedados a 2 minutos desta praça. Era basicamente virar a esquina e lá estávamos nós, felizes de ver aquelas cores todos os dias. Ali não passam carros, apenas eléctricos, o que possibilita um passeio muito mais agradável e que se desfrute em pleno daquele espaço. Desta praça vai-se para todo o lado: seja para a antiga Nice, para a Promenade des Anglais (onde se situam as praias), para a comprida Avenue Jean Médecin que vai até à estação de comboios principal e para as conhecidas avenidas laterais, Avenue Verdun e Avenue Félix Faure.



BASILIQUE NOTRE-DAME DE L'ASSOMPTION

Situada em plena Avenue Jean Médecin, a Basílica de Notre Dame destaca-se pela sua estrutura e grandiosidade arquitectónica. Sempre que íamos para a estação de comboios passávamos por ela e a tendência era olhar para cima e encontrar mais alguma coisa que ainda não tivéssemos visto. Construída no século XIX, esta é a maior igreja da cidade. Entrada livre



PROMENADE DU PAILLON

Para começar, vão ler e ver muitas vezes promenade por Nice. Promenade quer dizer Avenida ou Passeio. A Promenade du Paillon tem o seu inicio na Place Masséna e estende-se até ao Teatro Nacional de Nice. Este parque urbano, com 1,2 km, tem um curioso parque infantil em que os seus baloiços têm formas de animais. De dia e de noite, o jogo de água e luz que se pode assistir à entrada da Promenade é fantástico. Sabiam que o local onde hoje se situa o parque era a rodoviária de Nice?



PROMENADE DES ARTS

A Promenade des Arts é quase uma continuação da Promenade du Paillon, pois começa onde está o Teatro Nacional de Nice e prolonga-se até ao Museu de Arte Moderna e Contemporânea. De facto, não é uma promenade espectacular, pois a mais linda de todas é sem dúvida a que vem a seguir. No entanto, a sua importância deve-se à realização de grandes eventos culturais por lá. E para quem visita Nice com a vontade de conhecer melhor o panorama cultural, poderá encontrá-lo nesta zona da cidade, até na rua, onde se encontram esculturas de grande dimensão.



PROMENADE DES ANGLAIS

Ai a Promenade des Anglais...é inspiradora. E no século XIX passou a ser o destino de férias, no Inverno, dos ingleses. Percebe-se bem porquê quando estamos lá, é lindo. E consegue-se ter uma visão clara da extensão da cidade acompanhando com o olhar aquela avenida semi-circular. Conseguem-se ver os aviões lá ao fundo a aterrar no aeroporto. A Promenade des Anglais é um dos ex-libris de Nice onde se pode visitar as suas praias de pedrinhas (que aleijam muito quem não está habituado) com o Mar Mediterrânico, mais lindo que nunca, à nossa frente e as típicas cadeiras azuis para quem quer apenas contemplar aquele mar. Enquanto se caminha por aqui, encontramos o famoso Hotel Negresco e o Casino Palais de la Méditerranée Nice.

Informação útil: na praia existem balneários públicos. Entra-se, dirigimo-nos à mesinha de atendimento, faz-se o pré-pagamento da ida à casa-de-banho (0,50€) ou do duche (1,60€) e vai-se para o lado feminino ou masculino. Quando fomos lá, estava tudo limpinho e bem cuidado.



JARDIN ALBERT 1ER

Quem estiver pela Place Masséna ou pela Promenade des Anglais, consegue facilmente encontrar este antigo jardim público de Nice, criado em 1852. O Jardin Albert 1er é perfeito para quem quer estar num local verde e fresco sem sair do centro da cidade. Durante a visita a este jardim podemos encontrar a Fontaine des Trois Grâces, o Théâtre de Verdure e o Monument du Centenaire.


LE CHÂTEAU

O Château, que significa castelo, não tem château. Na verdade, já houve por lá um castelo mas, no século XVIII, as tropas francesas fizeram o 'favor' de o destruir a mando de Luís XIV. Este forte militar, construído numa colina rochosa, tem uma localização privilegiada, oferecendo uma vista panorâmica espectacular sobre a baía de Nice. E quem não subir até lá, não viu Nice de uma forma que merece ser vista: de cima!


Para além do não-castelo, esta fortificação tem um jardim enorme na parte de cima, chamado Parc de la Colline du Château. Fomos até lá e descansámos um pouco nos bancos. Ali pode-se respirar ar puro, esticarmo-nos na relva, fazer um picnic. E se estão a pensar subir até lá a pé, aviso que é puxado fisicamente. Lá em baixo há um elevador gratuito até ao cimo da colina. Curtem um pouco do jardim, das vistas para a antiga parte da cidade, para o porto de Nice e para a baía. Depois descem os milhentos degraus, bem sabemos que a descer todos os santos ajudam! Nesta descida existem patamares, pois vamos tendo coisas para ver, como uma cascata, outros pequenos espaços para descansar, etc.



PLACE GARIBALDI

A Place Garibaldi é uma das mais antigas e largas praças de Nice, construídas nos século XVIII. Fica perto da parte antiga da cidade e do Porto de Nice. À volta desta praça podemos ver edifícios com arcadas de estilo barroco e no centro encontra-se a estátua do célebre Giuseppe Garibaldi.



MARINA E PORTO DE NICE

Quando andei a pé nesta zona, não me disse muita coisa. A não ser as cores e as arcadas dos edifícios que envolvem a marina de Nice. O resto não me despertou interesse. Só que quando subimos até ao jardim da colina, tudo mudou. A vista ficou tão bonita, tão arrumadinha, deu-me a noção de quão bem pensada foi aquela área do porto e da marina. O porto da cidade chama-se Port Lympia e pode-se apanhar ferries e barcos para vários destinos turísticos, como a Córsega.



Onde Comer

SUPERMERCADOS

Aqui a história é praticamente a mesma que em Paris. Quem não tem condições para gastar um dinheirão em refeições, pode optar por ir aos supermercados Monoprix, Carrefour e Intermarché que estão pela cidade. Logo no primeiro dia, quando estávamos a sondar os arredores do hostel, fomos em busca de um supermercado para nos abastecermos e encontrámos o Monoprix da Avenue Jean Medecin. Obviamente que não tem graça passar umas férias inteiras a comer bolachas, madalenas, napolitanas de chocolate e batata frita. Tentámos fazer uma refeição de faca e garfo por dia, que normalmente era ao jantar.


ESPUNO

Espuno é uma padaria daquelas old school em que o pãozinho ainda é feito a lenha. E uma padaria old scool só poderia estar na old town. Esta boulangerie, padaria em português, salvou-nos de um almoço menos feliz. Para além de ser mais barato do que um fast-food, tivemos a oportunidade de experimentar o pão local, bem como a pissaladière - especialidade da região. Comprámos pão de azeitonas, 2 fatias de pizza e 2 fatias de pissaladière que ficou por 7€. Tínhamos bebida na mochila, por isso, fomos contentinhos procurar um banco de jardim na Promenade du Paillon para nos sentarmos. Digo-vos uma coisa, é quando provamos o que é bom que percebemos as coisas más que comemos diariamente: todo o pão do mundo devia ser feito a lenha! É uma diferença abismal! Não há explicação. E o senhor que nos atendeu foi muito simpático e até nos perguntou se, antes de levarmos o pão e a pizza, queríamos que ele os colocasse no forno a lenha para irem quentinhos. Nós, ignorantes, dissemos que não era preciso. Se tivéssemos dito que sim, ainda seria melhor do que foi.


Como chegar: Rue Droite, 35


COURS SALEYA

No Cours Saleya, durante o dia, podemos visitar o Marché aux Fleurs. Neste mercado há muitas banquinhas com produtos típicos embalados ou não. Também podemos encontrar especialidades regionais como a Socca, Pissaladière, entre outros. Sabia que havia um spot que tínhamos de conhecer, o spot da Chez Teresa. Aqui, para além de outras coisas, o produto principal é a Socca. Muita gente, principalmente turistas, vão à banquinha da Chez Teresa comprar fatias de Socca, que custam 3€ cada. Infelizmente, não gostámos desta especialidade niçoise. Isto é apenas uma questão de gosto e, por isso mesmo, é algo a experimentar sim, para saber se gostam ou não.


Como chegar: Cours Saleya


LE MARCHÉ

O nosso primeiro jantar foi no Le Marché. Queríamos comer alguma coisa típica num local típico. Então fomos até Cours Saleya. De dia um lindo mercado, à noite um reboliço de turistas à procura de um restaurante. E o que não falta são restaurantes. O problema é que afinal é mais direccionado para os turistas do que para os locais, logo os preços são mais exagerados do que o normal. De qualquer das formas, ficámos por lá e escolhemos este restaurante. No entanto, não nos esticámos muito na escolha porque os preços já por si eram esticados. Portanto, escolhemos o mais barato do menu. Pedimos uma Pizza Margherita (9€), uma Omelette avec Jambon et Fromage (11€) e 2 taças de vinho Provence Rosé (4€ cada). Diz a etiqueta que o copo não deve vir cheio. Tudo bem. Mas o copo chegou quase vazio, e não é uma questão de perspectiva. No total, o jantar custou 28€. O jantar não foi mau mas também não foi uma maravilha. Foi normal.


Como chegar: Cours Saleya, 12-14


TANDOORI FLAME

A sensação mais viva que tenho da minha primeira refeição no Tandoori Flame é que me soube pela vida. Foi precisamente isto que eu disse quando terminei de comer. Foi uma das melhores coisas que nos aconteceu, gastronomicamente falando, durante esta viagem. Não ficámos fãs da Niçoise Cuisine nem dos preços praticados pelos restaurantes que tinham os pratos típicos. Era o nosso terceiro dia em Nice e andávamos a arrastar-nos pelas ruas da Vieille Ville, às 21h00, já cheios de fome sem saber onde ir. Há 3 dias que as comidas não nos satisfaziam, o que queríamos naquele momento era alguma coisa que nos fizesse lembrar a comida de casa. Do nada, vimos um restaurante indiano e tentámos a nossa sorte.


O restaurante tinha a cozinha aberta, virada para a rua, com algumas mesas do lado de fora e apenas um rapaz a atender. Fomos ver a ementa e os preços. Não era comida de casa mas os nossos olhos brilharam: havia arroz, frango, o caril que conhecemos e o tikka masala que eu adoro. Os preços eram mais razoáveis do que tudo o resto que tínhamos visto. A comida é espectacular, podem dizer o quão picante querem, é saborosa, sente-se os ingredientes fresquíssimos. O rapaz que atendia era simpático e  os cozinheiros são de mão cheia. Para além da comida, o segredo deste pequeno restaurante é a sua simplicidade. Porque os mais simples são os mais autênticos, sem pretensões, apenas querem fazer e servir bem. Fomos lá 2 vezes e, da última vez, esperámos meia hora por uma mesa. Normalmente não temos paciência para esperar mas já sabíamos que valia a pena e esperámos. Se ainda lá estivéssemos voltaríamos de certeza!

Comemos Chicken Tikka Masala (7,50€), Chicken Curry (6,50€), Nan Bread (1,90€) e Pilau Rice (2,50€). Para beber, pedimos uma coca-cola (1,50€) e uma garrafa de água (1,50€). Pagámos no total 21,40€. Da segunda vez pagámos um pouco mais porque quisemos experimentar uma entrada, o Chicken Pakora (4.90€).


Como chegar: Rue Centrale, 1

--

Outros pontos de interesse: St Nicholas Russian Orthodoz Cathedral | Musée Matisse

--

Visita o site Nice Tourisme

--

VER TODA A VIAGEM À CÔTE D'AZUR


Viagem: Outubro 2014
Fotos e montagem: Carina Teixeira
Outras imagens: 1 | 2 | 3

6 comentários:

  1. Minha querida, nem sabes o sorriso com que fiquei depois de ler o teu comentário. A verdade é que também conheço o teu blog desde o ínicio e é com muita pena minha que o tempo para o acompanhar tem sido escasso. Espero, ansiosamente, colmatar essa falha nos próximos tempos. Já vi que tens imensas sugestões e fotografias bonitas, tenho que vir dar um olhinho em tudo, pois viajar é uma das minhas maiores motivações e o teu blog é, sem dúvida, uma das minhas maiores inspirações!

    Um beijinho e obrigada pelas doces palavras,
    Sara Cabido | Little Tiny Pieces of Me

    ResponderEliminar
  2. Um belo excelente trabalho, Carina.

    Obrigada. :)

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  3. Estive em Nice, Cannes e St. Tropez à dois anos e pouco e adorei! Aquela zona é lindíssima e um dia vou tentar voltar lá. Esta publicação deixou-me com saudades :)

    ResponderEliminar
  4. Muito informativo e gostoso de ler seu blog. Vou passear por Nice com minha irmã por 5 dias e o usaremos como guia. Obrigada e Bj grande!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada!!! Tenho a certeza que irão adorar Nice e toda a Riviera Francesa, será uma experiência memorável. Beijinhos e desejo-vos uma boa viagem! :)

      Eliminar
  5. Oi! Gostei muito do seu blog! Meu marido e eu estamos nos mudando para a França e ao procurar sobre lugares para passarmos nossas férias de verão, acabei encontrando seu blog e este post sobre Nice! Com certeza irá ajudar muito a montar nosso roteiro! Um beijo!!! Taissa / Tá Visita

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...