4 de março de 2016

Riviera dei Fiori | Sanremo


Depois de uma bela manhã em Ventimiglia, rumámos a Sanremo! Estava feliz! Estava em Itália! Em Itália, percebem? Mais propriamente na região da Liguria. Estive o tempo inteiro meio fora de mim. E sempre a pensar que com um jeitinho até íamos parar a Génova, mas o Helder está cá para me pôr nos eixos quando começo a extravasar. Conformei-me (not) e aproveitei logo para provar o tão bem falado gelato italiano. Por lá andámos e gostámos de conhecer este outro pedacinho de Itália, não muito grande mas bem maior que Ventimiglia. Ai, quando penso em Itália, toda uma nostalgia toma conta de mim como se já lá tivesse vivido outras vidas. Se não foi, parece, e só penso em lá voltar e percorrer aquela terra toda numa grande viagem de comboio.

E é muito rápida a viagem de Ventimiglia a Sanremo! Chegámos lá em apenas 14 minutos de comboio5,60€ por pessoa ida e volta. Os comboios da Trenitalia têm uma particularidade que devia ser obrigatório em todos os comboios deste mundo. Um encosto para a cabeça! Se o comboio que me leva todos os dias para o trabalho tivesse um encosto para poder dormitar, poupava-me bastantes dores de pescoço. E atenção que agora vem aí mega serviço público: e encontrar a localização da estação de comboios de Sanremo? Nenhum mapa, site ou blog especificava bem a localização. Esta informação é importante para termos noção do quanto teremos de caminhar até chegar ao centro da cidade, que por acaso são ainda uns 15 minutos a pé. Portanto, anotem, a estação de Sanremo fica na Piazza Don Luigi Orione.


Fundada nos tempos áureos do Império Romano, Sanremo viu o seu crescimento a tomar forma no início da Idade Média. Quem diria que esta cidade já esteve sob a alçada de Ventimiglia, mas rapidamente passou a ser dominada pelos bispos genoveses. No entanto, no século XV tornou-se independente. Génova tentou novamente anexar Sanremo várias vezes e França dominou por lá uns tempos. No século XVIII, cresceu rapidamente devido ao turismo na região que chamava muitos nobres e realeza. O clima mediterrânico continua a ser um chamariz turístico mas, para além do turismo, a cidade destaca-se acima de tudo por ser considerada a La Città dei Fiori.

Visitar Sanremo é visitar cada recanto da cidade. Basta chegarem ao centro da cidade e caminhar, descobrir, observar. É uma cidade relativamente pequena, tipicamente italiana com uns toques de França. Na parte antiga da cidade, La Pigna, há um emaranhado arquitectónico de casas típicas, cheio de ruelas em escadaria, túneis e pequenas passagens. Não conseguimos visitar todos os pontos da cidade que queríamos. As minhas perninhas começaram a ceder ao cansaço dos últimos 4 dias. Já não aguentei subir e descer toda a zona antiga, residencial, cheia daqueles pequenos túneis, onde o dia-a-dia das pessoas acontece. As dores começaram a ser insuportáveis então demos meia volta e descemos - fraquinha, eu sei. Existe também uma pequena terra perto de Sanremo que muita gente aproveita para conhecer, Bussana Vecchia - se tiverem tempo, é dar um saltinho.


Momento a partilhar: Estado de ansiedade por não beber um café em condições há quase 5 dias estava no nível máximo. Digamos que o café dá-me um certo conforto que, muito provavelmente, advém de uma qualquer necessidade do foro psicológico e não físico. O conforto de uma boa bica, um cimbalino, um expresso - o nome não importa mas sim o sabor. Quando regressávamos para estação de comboios de Sanremo, vi um género de Café como os nossos cá em Portugal. Quis acreditar que ali haveria alguém que me desse um cafézinho de jeito e não uma água suja que custasse quase 2€. Entrámos, pedi um expresso, pensando que assim entenderiam logo que não queria um balde de café. E entenderam mas ficaram surpresos. 

O rapaz que nos atendeu perguntou-me: "Tem a certeza? Um expresso?". E eu ainda mais surpresa com a pergunta disse que sim, um expresso. E ele responde: "Queria alertar que um expresso é muito forte e pequeno, poderá não gostar. Quer café americano?". Pronto, percebi logo tudo. Não é a primeira nem a segunda vez que eu e o Helder somos confundidos com americanos e ainda não percebemos porquê - caso a ser investigado. Apressei-me, mas com calma e com o ar mais patriótico do mundo, a dizer: "Não se preocupe, eu sou Portuguesa. Estamos habituados a beber café expresso todos os dias." O rosto do rapaz encheu-se de luz - "Portugueses?" - sorriu, voltou-se e foi logo tirar o café. Ah, o café custou só 0,60€.Ya! A diferença que passar uma fronteira faz.




Viagem: Outubro 2014
Fotos: Carina Teixeira

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Já sabes que um dia vamos juntas! Itália que nos aguarde! :)

      Eliminar
  2. Que lugar tão lindo! As cidades italianas são encantadoras, se pudesse conhecia cada uma delas! :)

    ResponderEliminar
  3. Uma viagem maravilhosa descrita também maravilhosamente.
    :)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...